quinta-feira, maio 01, 2008

“Sonhamos em forma de narrativa, fantasiamos acordados em narrativa, recordamos, antecipamos, temos esperança, ficamos desesperados, acreditamos, duvidamos, planeamos, revemos, criticamos, construímos, aprendemos, odiamos, amamos em narrativa. Para vivermos, construímos histórias acerca de nós próprios e dos outros, acerca do passado e do futuro, pessoal e social.”

Hardy

2 comentários:

Pharaoh disse...

Olá :)


Não conheço o livro de onde o excerto foi retirado, mas numa primeira análise pessoal, todo o texto de Hardy, alude à própria construção do sujeito enquanto tal e da forma de reacção deste, para com as realidades que assim lhe vão moldando as capacidades de interagir, quer com ele próprio, quer com a realidade de que se faz e se sente assim por elas rodear.

Vejo no excerto um sentido mais de adaptação positiva do sujeito, do que propriamente prejudicial para este, enquanto tal.

No fundo a questão principal, talvez se prenda a meu ver com:

O se se vive apenas de estórias ou se na realidade e por cada estória se constroi e delas se faz História.

Claro está, a nível pessoal ou colectivo, a referência que aqui faço a História.

A estória de sorriso narrado mil vezes, assume sempre um caracter de unicidade quando feito História. Assim como um desenvolvimento refinado de um ideal, assume também ela e sempre, os contornos de História quando realizada em prol de uma comunidade ou em sentido lato, em prol da própria Humanidade.

É necessário sonhar para construír, independentemente da forma de como o sonhamos e para nós, por nós e em nós os narramos. Tal é claro, já não se aplica aos meios e aos metodos muitas vezes utilizados para os pôr em prática.


Ui, e desculpa-me a extensão do comentário, mas o excerto que colocas-te, é propício a estas deambulações pela mente humana,,, ou então não, e eu é que compliquei :)

De qualquer das formas foi muito bom aqui voltar, obrigado também pela visita. Da minha parte voltarei mais vezes, enquanto assim voçês me o permitirem :)


Beijinhos e abraços de tudo de bom para voçês ok


:)

carlota disse...

Estou a fazer um trabalho sobre psicologia narrativa e Barbara Hardy é uma autraliana que trabalhou nesta área. Encontrei este texto que achei muito interessante e decidi partilhar. Fala sobre o que disseste, sobre a nossa contrução de histórias, histórias que interpretamos e que narramos aos outros, pedaços de nós contruídos em narrativa, que podem ser a realidade ou não...